o cão e o cheiro

Cães: o mundo através dos cheiros

janeiro 23, 2017 8:09 pm Publicado por 2 Comentários

Cães são animais quadrúpedes. Com seu focinho mais perto do chão, sentem mais intensamente do que nós, humanos, odores de produtos de limpeza no chão de casa ou mesmo marcações de urina em postes, árvores ou nos gramados dos parques. Mas e quanto ao cheiro que está no ar? Certamente já ouvimos dizer, por exemplo, que machos sentem o odor de uma fêmea no cio a quilômetros de distância.

Enquanto nós, humanos, percebemos o mundo através dos olhos, os cachorros o fazem usando o focinho. Na página 32 do livro “Os Cães, sonham?” de Stanley Coren, lemos que “A parte do cérebro do cão dedicada à análise dos odores é cerca de 40 vezes maior que a dos humanos…”.  Além disso, a anatomia dos cães privilegia a detecção de odores, com destaque para:

  • Narinas com movimentos independentes: facilidade para identificar a direção e origem do cheiro;
  • Respiração diferenciada: quando um cheiro chama atenção, os cães prendem o ar numa cavidade especial. Esse ar retido, que não sai com a expiração, dá mais tempo aos nossos amigos para processar as informações desse cheiro;
  • Focinho mais largo e longo = mais capacidade de detecção de odores: nós humanos, assim como os cães, possuímos placas ósseas dentro do nariz. Essas placas têm células que detectam odores e nervos para levar a informação ao cérebro. Nos cães, a área dessas placas pode ter o tamanho de até 390 cm², ou seja, o equivalente a uma folha de papel sulfite. Nos humanos, a mesma área tem o tamanho de um selo de carta (aproximadamente 6.5 cm²).
  • Mais células que detectam o odor: um nariz humano contém aproximadamente 5 milhões de células para detecção de odores. Num beagle pequeno, por exemplo, esse número pode chegar a 250 milhões!!!

Aqui na creche para cães, por exemplo, utilizamos apenas produtos de limpeza desenvolvidos para nossos amigos peludos. Essa é uma recomendação veterinária, que considera a brutal diferença entre cachorros e humanos. Diferença que, somados os fatores acima e outros ainda em estudo, faz com que um cão tenha capacidade olfativa até 10 mil vezes maior que nós humanos!!!

Fica a dica: na próxima vez que seu amigo peludo for ao veterinário, diga a ele como é o espaço onde seu cão costuma ficar. Certamente o profissional indicará a melhor maneira de limpar o chão e as paredes, bem como os potes de água e comida, com produtos que preservem seu focinho.

E, ao levar seu amigo ao pet shop, procure ficar atento aos perfumes pós banho. Pode até ser agradável aquele cheirinho de limpeza, mas caso a fragrância não seja apropriada para cachorros, corre-se o risco de provocar irritações e comprometer a capacidade olfativa do animal.

 

Abraços e até a próxima!

Ricardo

Ossos do Ofício – Creche e Hotel para cães

11 9.4197-7799

Tag: , , , , ,

Categorizados em:

Este artigo foi escrito porRicardo Assumpção

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *